O que é obesidade?

A obesidade é consequência do acúmulo excessivo de gordura no corpo. Está entre os principais problemas de saúde pública no mundo. A obesidade mórbida é caracterizada pelo grande excesso de peso, o que acarreta elevado risco de complicações. Toda pessoa que tem IMC acima de 40 tem obesidade mórbida.

Causas

Não existe uma causa única para a obesidade, ela ocorre por uma série de fatores, tais como:

  • Hereditariedade – acredita-se que, em uma família de pais obesos, a chance do filho também desenvolver obesidade é muito grande, mesmo quando apenas um dos pais é obeso.
  • Ingestão em grande quantidade de alimentos com alto valor calórico e pouco ou nenhum valor nutricional.
  • Pouca atividade física.
  • Doenças hormonais estão entre causa mais raras, menos de 1% dos casos

Quais os riscos da obesidade mórbida?

  • Doenças do coração e da circulação, como infarto, derrame e hipertensão arterial
  • Diabetes
  • Doenças da coluna e das articulações
  • Doenças do aparelho digestivo, como pedra na vesícula e doença do refluxo
  • Alterações hormonais e sexuais
  • Dificuldades de respiração e do sono
  • Depressão e outras alterações psicológicas
  • Risco elevado de morte

Além disso, os pacientes obesos têm alterações importantes de qualidade de vida com limitações em atividade do dia-a-dia, como:

  • Dificuldades em andar e correr
  • Dificuldade em utilizar meios de transporte públicos
  • Problemas de relacionamentos

Quem está indicado para cirurgia?

  • Pacientes com índice de massa corpórea acima de 40
  • Pacientes com índice acima de 35 que apresentem doenças associadas, como hipertensão artéria, diabetes melitos, dislipidemias entre outras
  • Mínimo de 18 anos de idade
  • Obesidade estável há pelo menos cinco anos e há pelo menos dois anos de tratamento clínico, sem sucesso
  • Ausência de dependência a drogas ilícitas, alcoolismo e de doenças psicóticas ou demências

E principalmente, a compreensão pelo paciente e seus familiares dos riscos e mudanças de hábitos inerentes a uma operação de grande porte e da necessidade de acompanhamento pós-operatório com a equipe multidisciplinar por toda a vida do paciente.

Cuidados pré-operatórios

Quais são os cuidados pré-operatórios para o procedimento de redução de estômago?

Os pacientes candidatos a cirurgia bariátrica devem ser avaliados por uma equipe multidisciplinar – composta por nutricionista, cardiologista, endocrinologista, anestesiologista, psiquiatra ou psicólogo e o cirurgião geral.

Além da realização de diversos exames clínicos, o paciente deverá ser submetido a uma avaliação psicossocial para adequar o tipo de tratamento ideal para cada paciente.

Tratamento

O tratamento cirúrgico é o único método que resulta em perda de peso prolongada e reduz os riscos de complicações e morte das doenças associadas à obesidade mórbida.

Os procedimentos cirúrgicos são:

  • Restritivos, que reduzem o tamanho do estômago, diminuindo a capacidade gástrica.
  • Malabsortivos ou disarbsortivos, que reduzem o comprimento do intestino, reduzindo a absorção de nutrientes.
  • Procedimentos mistos, que associam procedimentos restritivos e disarbsortivos, como exemplos são a operação de Capella, operação de Wittgrove, operação de Fobi, operação de Scopinaro e operação de desvio duodenal.

Quais são as principais complicações?

As principais complicações incluem trombose venosa e embolia pulmonar, infarto do miocárdio, fístula, infecção, sangramento, hérnia, distúrbios nutricionais e metabólicos e alterações psicológicas. A mortalidade é de cerca de 1 %.

Procedimentos não-cirúrgicos

Os procedimentos não cirúrgicos são:

balao-intragastrico

Balão Intragástrico – introdução de um balão inflável de silicone dentro do estômago por via endoscópica. A perda de peso é geralmente moderada e temporária. O balão deve ser retirado seis meses.

bandagastrica

Banda Gástrica – colocação de uma prótese de silicone em forma de banda ou fita em volta da parte proximal do estomago, causando um estreitamento do volume gástrico.

Pós-operatório

As orientações pós-operatórias são fundamentais para a boa recuperação do paciente e devem ser seguidas rigorosamente.

  • A dieta será estabelecida pelo cirurgião e pela nutricionista de acordo com tempo de pós-operatório do paciente
  • Ingestão de vitaminas e sais minerais será prescrita pelo médico de acordo com a necessidade de cada paciente
  • Lavagem e troca diária do curativo, seguindo as orientações do cirurgião
  • Exercício de respiração profunda três vezes a cada hora para expandir o pulmão
  • Evitar ficar muito tempo sentado ou deitado
  • A absoluta cooperação e dedicação em seguir as instruções da sua equipe multidisciplinar, são fundamentais para o sucesso da sua operação

Calcule seu IMC